Ligação Direta - Notícias
Salvador, 19 de Novembro de 2017

Temer diz que reforma ministerial será feita ‘até meados de dezembro’

 

Resultado de imagem para fotos de temer

 

No mesmo dia em que disse haver "unidade absoluta" no ministério, o presidente Michel Temer teve uma baixa na equipe e prometeu reforma ministerial dentro de um mês. Nesta segunda-feira, o peemedebista recebeu a carta de demissão do tucano Bruno Araújo, que chefiava o Ministério das Cidades. A reforma ministerial de Temer deve ser ampla e ter trocas de pastas entre ministros.

"O presidente dará início agora a uma reforma ministerial que estará concluída até meados de dezembro", diz nota do Palácio do Planalto, que também agradece ao tucano pelos serviços.

— No nosso ministério não há uma desintegração sequer, há uma unidade absoluta — havia dito Temer nesta segunda-feira pela manhã, em um evento no Rio.

Segundo um assessor do peemedebista, a reforma deve ser "mais ampla do que o PSDB", que é o principal racha na base aliada. Com a saída de Bruno, os tucanos têm na Esplanada três quadros: Aloysio Nunes (Itamaraty), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Luislinda Valois (Direitos Humanos). Isto é: devem ser feitas alterações em mais postos, inclusive uma realocação entre ministros.

— Eu saí inteiro. Todos foram afastados, eu pedi minha exoneração — declarou Bruno, após a demissão, ao GLOBO, referindo-se aos outros ministros do governo.

No fim de maio, na esteira da delação da JBS e gravação do presidente pelo empresário Joesley Batista, Bruno Araújo quase saiu do ministério. Para afirmar que continuaria, convocou uma entrevista no começo de junho no Planalto, com dados já divulgados. Ele também anunciou um programa social ainda indefinido, uma espécie de "aluguel social", em uma "amostra grátis", sem orçamento, critérios ou prazos.

O Globo ////AF/////
 

Postado em 14 de Nov 2017 as 06 : 00 : 00

 

Copyright 2014 - Todos os direitos reservados