Ligação Direta - Notícias
Salvador, 17 de Fevereiro de 2020

Filha de dono do avião pode ser responsabilizada por acidente, diz advogado da Chapecoense

 

Resultado de imagem para fotos do avião da lamia

 

A suspeita do Ministério Público Federal em Santa Catarina (MPF-SC) de que a negociação do fretamento da aeronave da LaMia para a Chapecoense teve a participação de uma venezuelana pode apontar uma nova responsabilização sobre o acidente aéreo que deixou 71 mortos há quase um ano, conforme o advogado que representa o time, Tullo Cavalazzi.

Ele disse ao NSC Notícias desta terça-feira (14) que a suspeita do MPF-SC "está dentro de uma linha de investigações, uma das linhas de investigação que a Chapecoense vem acompanhando para que possa ter uma caracterização da responsabilidade. A partir do momento que nós temos assinatura por mais de uma pessoa, essas pessoas também terão responsabilização sobre o acidente"

Suspeitas do MPF

Os procuradores do MPF-SC encontraram indícios de que a LaMia, a companhia responsável pelo voo, não pertença de fato aos donos que constam do papel, e que dificilmente poderiam arcar com os pagamentos – um deles morreu no acidente e o outro está foragido.

No papel, a LaMia pertence a Miguel Quiroga, que era o piloto do avião e morreu no acidente; e a Marco Antonio Rocha, que está foragido.

Os procuradores do MPF-SC, entretanto, encontraram documentos que apontam que a negociação do fretamento da aeronave com a Chapecoense teve a participação da venezuelana Loredana Albacete.

G1/////AF/////

Postado em 15 de Nov 2017 as 06 : 46 : 00

 

Copyright 2014 - Todos os direitos reservados