Ligação Direta - Notícias
Salvador, 17 de Fevereiro de 2020

Acusado do assassinato contra o PM foi apresentado nesta terça (22)

O acusado de participar do assassinato do policial Arisvaldo das Neves Santana, 47 anos, na noite de segunda-feira (21), Tawan da Silva Barbosa Tosta, 19, foi apresentado na manhã desta terça-feira (22) na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba. 

Segundo o delegado Odair Carneiro, titular da Delegacia de Homicídios Múltiplos (DHM), o policial foi atingido por dois disparos, um no tórax e outro na axila, após reagir a uma tentativa de assalto praticado por Antônio de Jesus Oliveira, 37.

Carneiro  negou que a vítima tenha sido identificada como policial, o que teria motivado os disparos: “Eles estavam ali para assaltar qualquer pessoa, mas o policial reagiu, não teve sorte e foi a óbito", contou. 

Ainda de acordo com as informações da polícia, Arisvaldo, a companheira e um sobrinho, todos alunos da Unijorge, foram abordados na passarela quando deixavam a faculdade, na Paralela. O policial era estudante de Administração. Outro estudante que também passava pelo local também foi alvejado, mas socorrido para o Hospital São Rafael.

Após o assalto ser anunciado, Arisvaldo tentou reagir, foi baleado, mas conseguiu revidar com um tiro no peito do bandido. Antônio conseguiu fugir com a ajuda de Tawan, que o esperava em um ponto próximo à passarela em um veículo Gol.

Ferido, o autor do crime foi levado pelo comparsa para o bairro da Mata Escura, onde ambos residiam. Na localidade, a dupla pediu a ajuda a um vizinho, que levou o baleado ao Hospital Roberto Santos. A dupla mentiu para o vizinho alegando terem sido assaltados.  

Ao registrar entrada no Roberto Santos, guarnições da PM foram informadas pela Central de Telecomunicações das Polícias (Centel), quem seguiram para a unidade. No hospital, os policiais militares abordaram o acusado que assumiu a autoria do crime. Antônio ainda revelou a identidade e o endereço do comparsa, que foi preso em casa, conforme detalhou o major da Polícia Militar, Agnaldo Ceita, comandante da Rondesp Central.

Desempregado há 9 meses, Antônio é ex-funcionário de uma loja de eletrodomésticos, enquanto que Tawan, há 6 meses trabalhava em um laboratório de análises clínicas. Os dois foram autuados no crime de roubo qualificado e serão encaminhados ao sistema prisional.

(Foto: Reprodução)

Postado em 22 de Set 2015 as 15 : 49 : 00

 

Copyright 2014 - Todos os direitos reservados