Ligação Direta - Notícias
Salvador, 19 de Novembro de 2018

Alunos do Colégio Vieira, em Salvador, pelo WhatsApp, pregam tortura e ameaçam professora

 

 

“Eu tenho vontade de dar uma paulada na cabeça dela”, “Tortura essas p*** dando 5 facadas logo”, “Que tal mandar os bandidos pras reservas indígenas? Aí eles se matam e matam os índios também”, “Índio é inútil, só serve pra ter feriado”. Todas essas mensagens foram escritas por estudantes do Colégio Antônio Vieira (CAV), uma das instituições mais tradicionais de Salvador, em um grupo de WhatsApp.

O assunto é grave: mais um caso de intolerância em escolas. Em um grupo batizado de “Direita Delirante”, que tem cerca de 120 membros, estudantes da rede particular de ensino trocaram mensagens com conteúdo ofensivo a mulheres e indígenas, além de fazerem ameaças a uma professora.

Na noite de terça-feira (6), quando tomou conhecimento do conteúdo, o CAV emitiu uma nota de repúdio. “Os conteúdos são contrários aos princípios cristãos, que norteiam a nossa prática educativa”, diz a instituição católica, que tem 107 anos de fundação.

Coordenador pedagógico do ensino médio do Vieira, José Teixeira Neto afirmou que a direção do colégio se reuniu na manhã desta quinta-feira (8) para “apurar melhor o fato e decidir o que fazer”. Ao todo, oito alunos terão seus comportamentos avaliados e podem ser punidos com advertência, suspensão ou, em casos mais graves, bloqueio de matrícula para o próximo ano letivo.

“Começamos a averiguar as responsabilidades dentro desse grupo de WhatsApp. Quem são os autores, quem interagiu. Precisamos detectar o nível de responsabilidade de cada um dos participantes para aplicar as devidas sanções.

Felizmente esse pequeno grupo não representa as juventudes que trabalhamos no colégio, tampouco a juventude baiana e brasileira”, garantiu o coordenador, que é conhecido como Zelão pelos estudantes.

Ele acredita ainda que punir não é a única atitude que a instituição precisa tomar. Como o Colégio Antônio Vieira faz parte da chamada Rede Jesuíta de Educação, presente em escolas espalhadas pelo mundo todo, o coordenador considera fundamental que os valores pregados pelo colégio sejam reforçados e que haja mais investimento na formação dos alunos como seres humanos, para que eles assimilem melhor o discurso de paz e respeito pregado pelo local onde estudam.

 

Correio// Figueiredo 

Postado em 09 de Nov 2018 as 06 : 21 : 27

 

Copyright 2014 - Todos os direitos reservados