Ligação Direta - Notícias
Salvador, 25 de Abril de 2019

Cobiçado, Santo Antônio Além do Carmo vira centro de polêmicas do Verão

 

 

Noite de 1970: o Santo Antônio Além do Carmo, um dos bairros mais antigos de Salvador, está completamente tranquilo. A movimentação é restrita ao vaivém de beatas e aos moradores nas calçadas. Noite de 2019: mesas e cadeiras são organizadas no asfalto. A fila de motoristas causa engarrafamento e o som invade os casarões. Um morador, da sacada, resmunga. Passado e presente confrontam-se em discussões nem sempre harmônicas sobre o futuro da região centenária. 

Não mais que cinco mil pessoas vivem ali, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Da janela de sua casa-ateliê, Maria Maranhão, artista e figura folclórica do bairro, descreve o dia a dia: “É um lugar da paz”. Não sem completar: “Da paz ameaçada”. A moradora se refere aos grandes eventos e ao fluxo de visitantes ao falar em risco.

 

Moradora do bairro, Maria Maranhão reclama do grande volume de festas no bairro/ 

 

Quando, no último dia 14, a tradicional agremiação carnavalesca do bairro, o Bloco de Hoje a 8 (DHJA8), anunciou a possibilidade de não desfilar no pré-carnaval deste ano, como faz desde 2011, descrições como a de Maranhão pipocaram. 

“O que o Santo Antônio Além do Carmo de fato comporta?”, questionaram os organizadores, moradores do lugar, no Facebook, ao comentar o crescimento do bloco talvez para além da capacidade de um bairro pequeno e residencial. O CORREIO tentou contato direto com o DHJA8, que preferiu não comentar o assunto. No mesmo dia, o Bloco Harém havia divulgado uma festa, o Santo Antônio Harém do Carmo, com desfile pelas ruas do Carmo e baile privado numa chácara. 

Alguns moradores torceram o nariz, indignados. Reclamam entre si nas calçadas, nos grupos de WhatsApp criados justamente para discutir a popularização do bairro.

 

Correio // Figueiredo 

 

Postado em 20 de Jan 2019 as 09 : 11 : 43

 

Copyright 2014 - Todos os direitos reservados