Ligação Direta - Notícias
Salvador, 13 de Novembro de 2019

Novembro Azul no Cedeba começa segunda-feira com teste de hepatite

Pessoas com diabetes têm duas vezes mais chance de ter hepatite C, doença que, se não for tratada, pode evoluir para câncer de fígado e cirrose, adverte o presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia, o hepatologista Paulo Lisboa Bittencourt. Ele mesmo, no entanto, nos tranquiliza – Hepatite C tem cura – o tratamento com medicação oral dura 12 semanas – e a doença pode ser diagnosticada com o teste rápido, simples e gratuito, disponível na rede pública de saúde.

Este ano, o Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) dá início às atividades do Novembro Azul – 14 de Novembro é o Dia Mundial do Diabetes – com a realização do teste rápido para hepatites B e C para usuários do Centro de Referência com diabetes tipo 2, de qualquer idade, e pacientes em geral acima de 40 anos, atendidos no laboratório do Cedeba.

O teste começa a ser realizado dia 4 de novembro (segunda-feira) , numa parceria do Cedeba, Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH), prosseguindo até o dia 3 de dezembro. Será feito mediante assinatura de termo de consentimento, quando os pacientes se dirigirem ao Laboratório de Análises do Cedeba para exames de rotina. Segundo explicou o coordenador do Laboratório do Cedeba, Sandro Monteiro, o teste de hepatite é rápido e pode ser realizado na mesma amostra de sangue coletada para exames laboratoriais.

MUITO IMPORTANTE

Para o hepatologista Paulo Lisboa Bittencourt, quando a atenção do planeta está voltada para o diabetes, com a mobilização do Dia Mundial “é muito importante fazer o teste de hepatite C, doença que no Brasil atinge 0,7%- 2,1% da população em geral, sendo sua frequência ainda maior em pessoas vivendo com diabetes”.

Na avaliação do hepatologista, “nossa parceria com o Cedeba e Divep é muito importante, por facilitar para as pessoas com diabetes a realização do teste de hepatites B e C, caminho para o tratamento – garantido pelo governo – evitando mais uma complicação na saúde das pessoas com diabetes. Essa experiência da Sociedade Brasileira de Hepatologia com o Cedeba pode funcionar como piloto e ser ampliada para todo o País”, avaliou o hepatologista.

PREVENÇÃO

Atitudes simples podem prevenir a contaminação pelos vírus das Hepatites A, B, C, D e E. No Brasil, a maior quantidade de mortes por hepatites virais é decorrente das B e C. Para a prevenção, é importante evitar contato com sangue, não compartilhar alicates, lâminas de barbear, escova de dentes ou perfurocortantes e usar sempre camisinha. A vacina para hepatite B está disponível nas unidades básicas de saúde, gratuitamente.

SESSÃO TEMÁTICA

Este ano, pela primeira vez, a Coordenação de Educação e Diabetes (Codar) do Cedeba, realizará sessão temática em novembro, quando se comemora o Dia Mundial do Diabetes. A aula, na próxima terça-feira (5 de novembro), das 8h30 às 11h30, no auditório do Centro de Atenção à Saúde para os profissionais do SUS (Centro de Referência, Atenção Básica) e estudantes universitários da área da Saúde , será da oftalmologista e retinóloga do Cedeba, Tessa Mattos, sobre “Prevenção de Tratamento da Retinopatia Diabética (RD)”, a complicação mais temida pelas pessoas com diabetes diante do risco de cegueira.

Segundo a especialista a RD é doença silenciosa, e para a prevenção é muito importante o controle da glicemia e da hipertensão arterial. Explicou que o risco de cegueira pela RD pode ser reduzido a menos de 5% quando o tratamento é feito em tempo adequado.

Ela também apresentou números que mostram a presença da RD em função do tempo do diabetes, que atinge 90% nos casos de diabetes tipo 1, após 20 anos da doença. Nesse período, 60% dos pacientes com diabetes tipo 2, apresentam algum grau de RD.

Entre os fatores de risco para a RD estão o descontrole da glicemia e a hipertensão arterial. E mais: a obesidade, nefropatia, gravidez e anemia. Os critérios para encaminhamento ao oftalmologista são os seguintes: no diabetes tipo 1, após a puberdade ou cinco anos após o diagnóstico da doença, enquanto no tipo 2, junto com o diagnóstico de diabetes.

AÇÕES EDUCATIVAS

A programação do Novembro Azul prossegue até o dia 14 (dia Mundial do Diabetes). A partir do dia 11 estão programadas atividades com abordagem educativa para os pacientes. São as caravanas que percorrem a unidade para chegar aos usuários. No dia 11, das 9 às 11 horas, representantes da Enfermagem e da Farmácia trabalharão o tema “Uso Racional de Medicamentos e Aplicação de Insulina com caneta”. Nessa ação haverá o suporte técnico do Serviço Social (aspectos legais e acesso a insumos e medicamentos).

No dia 12, o tema será “Seus Olhos e Diabetes”, tendo como facilitadora a oftalmologista Tessa Mattos e equipe. Também no dia 12, o setor de Psicologia estará fazendo abordagem educativa com o tema “Convivendo com o Diabetes”. No Dia Mundial do Diabetes (14 de novembro) no auditório do CAS haverá palestra sobre Prevenção da Doença Renal em Diabetes.

Mas o Cedeba, por meio da Codar, além das suas atividades, também faz o trabalho de sensibilização dos municípios, incentivando a realização de atividades para chamar a atenção para o Dia Mundial do Diabetes.

A data foi criada pela Federação Internacional de Diabetes, junto à Organização Mundial de Saúde em 1991, tendo sido oficializada mundialmente pela Assembleia Geral da ONU (OMS) em 2017 com a Resolução nº 61.225. A data faz parte do calendário de Saúde do Ministério da Saúde e é chancelada pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) Associação Nacional de Diabetes (ANAD) e Grupos organizados. 

Fonte: Sesab - Governo da Bahia // Itatiaia Fernandes

Postado em 04 de Nov 2019 as 12 : 45 : 55

 

Copyright 2014 - Todos os direitos reservados