Ligação Direta - Notícias
Salvador, 04 de Dezembro de 2020

Mulheres trans e travestis também devem fazer o exame contra câncer de próstata

Tabus como “homem não fica doente”, “adoecer é fraqueza” e “homem é o sexo forte” são alguns dos fatores que podem contribuir para a baixa procura do público masculino aos serviços de cuidados preventivos de saúde. Conhecida como Novembro Azul, a campanha de mobilização tem como principal foco o combate ao câncer de próstata, tipo mais frequente de linfoma entre os homens e que acomete cerca de 68 mil brasileiros por ano com uma média de 15 mil óbitos.

O que poucas pessoas sabem é que as ações do Novembro Azul não são voltadas exclusivamente para os homens. Mulheres transgênero, travestis e pessoas não binárias também devem buscar os serviços de saúde para a realização do exame de detecção precoce da doença. Uma estimativa da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) é que cerca de cinco mil mulheres trans vivam hoje na capital baiana.

“O preconceito, a vergonha e o medo de ir até uma unidade de saúde também afetam a vida das mulheres trans, dos travestis e das pessoas não binárias. Por isso, é importante sensibilizar e incentivar esse público para a prática do autocuidado. Mesmo aquelas mulheres transgênero que já fizeram a cirurgia de adequação de gênero também devem seguir um plano de acompanhamento periódico para o exame da próstata. Vamos aproveitar o Novembro Azul e fazer da saúde um lugar para todos”, afirmou Paula Souza, coordenadora de Assistência do Multicentro Carlos Gomes

De acordo com orientação do Ministério da Saúde, a partir dos 50 anos de idade, é preciso fazer anualmente o exame de toque retal, procedimento mais eficaz para detecção precoce de qualquer alteração na próstata. Indivíduos com histórico familiar da doença devem realizar o exame com 45 anos de idade.

“O diagnóstico precoce aumenta em até 90% as chances de cura do paciente com câncer de próstata. Por isso, é necessário quebrar todo tipo de tabu e ter a consciência que o cuidado com a nossa saúde deve sempre ficar em primeiro lugar”, destacou Paula Souza.

Assistência – Em Salvador, os Multicentros Carlos Gomes e Vale das Pedrinhas e o Instituto Saúde e Cidadania estão compostos com equipes multidisciplinares completas para o atendimento integral da saúde do homem, inclusive com médicos urologistas.

Para ter acesso aos serviços, o beneficiário SUS da capital baiana deve realizar o agendamento das consultas ou exames através de uma das 153 unidades básicas da rede municipal.

Agência de Notícias da Prefeitura de Salvador \\ Itatiaia Fernandes 

Postado em 20 de Nov 2020 as 12 : 34 : 50

 

Copyright 2014 - Todos os direitos reservados