Ligação Direta - Notícias
Salvador, 26 de Janeiro de 2021

Mãe e filho baleados em Campinas de Brotas são enterrados juntos nesta quinta-feira

Os corpos do mecânico Marcelo Araújo Melo Souza, 20 anos, e da mãe dele, Ana Araújo Melo Souza, 45, serão enterrados às 11h30 desta quinta-feira (17), no Cemitério Municipal de Brotas.Mãe e filho foram mortos na noite de terça-feira (15), durante um ataque na Rua Climéria Montanha, em Campinas de Brotas.

Por volta das 22h de terça, os moradores da rua foram surpreendidos por dois homens armados. Cerca de sete pessoas estavam conversando na porta da casa do mecânico quando os bandidos mandaram que colocassem as mãos sobre a cabeça. "Eles disseram para a gente colocar as mão na cabeça e diziam que estava com uma ponto 40 (pistola). Ficamos nervosos e saímos correndo", contou uma das moradoras.

No momento da confusão, o pedreiro Genício Silva de Araújo, 51, correu para dentro de casa. Ele mora no mesmo imóvel que o sobrinho, o mecânico Marcelo, e tentou se proteger. "Os caras começaram a atirar e um deles meteu o pé na porta assim que Geninho entrou", contou outro vizinho.

Marcelo estava dormindo e acordou com o grito dos moradores e o barulho dos tiros. Moradores contaram que mesmo depois de balear Marcelo, os dois bandidos obrigaram o mecânico a seguir alguns metros, ladeira acima na Rua Climério Montanha. Desesperado, o rapaz tentou se soltar das mãos dos agressores e voltar para casa. 

"Eles (bandidos) disseram: você vai com a gente. Marcelo começou a tentar se soltar e dizer que não iria, pedindo para soltarem ele", contou uma vizinha.  Antes de deixar o mecânico voltar para casa, os suspeitos balearam o rapaz outras vezes.

Depois de voltar para casa, ele encontrou o corpo da mãe na entrada da sala, abraçada pelo tio Genício, que também foi baleado. Ana foi baleada no peito. 

A prima e sobrinha das vítimas contou que só escapou com vida porque a arma do bandido não funcionou. Ela e outras duas mulheres correram no momento da confusão, mas foram rendidas por outros dez homens que faziam parte da quadrilha. Segundo a jovem, um dos bandidos puxou o gatilho duas vezes contra a cabeça dela, mas a arma não disparou.

Foto: Reprodução/Correio24h

Postado em 17 de Mar 2016 as 12 : 30 : 00

 

Copyright 2014 - Todos os direitos reservados